quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Resenha do livro "A Intuitiva"


Livro: A Intuitiva
Autor: Hannah Howell
Editora: Lua de Papel
Ano: 2011
Páginas: 205
Comprar: Livraria Cultura / Submarino

Sinopse:
UMA HISTÓRIA SOBRE COMO O PODER DO DESTINO E DO DESEJO PODE REALIZAR COISAS APARENTEMENTE IMPOSSÍVEIS. Estamos na Inglaterra, no século XVIII. Assim como a maioria de seus familiares, a bela e jovem Alethea Vaughn Channing possui dons especiais. Desde pequena ela tem visões recorrentes de um homem desconhecido. Passados 15 anos desde a primeira visão, ela prevê um risco iminente de morte. Ela precisa encontrá-lo, contar sobre sua visão e convencê-lo de que corre perigo… Mas quem acreditaria numa estranha com uma conversa dessas? Ainda sob um ceticismo inicial, ele percebe sinceridade na desconhecida e, agindo emocionalmente, decide acreditar na estranha para tentar novamente descobrir o paradeiro de seus dois sobrinhos, que desapareceram após a trágica morte de sua irmã e do esposo. Durante essa busca, começa então a florescer uma forte admiração entre os dois, até surgir a perigosa Claudete, uma antiga amante de Hartley, e que Alethea descobrirá estar entre as pessoas mais ameaçadoras da alta sociedade de Londres. Então, a sua vida também passa a correr perigo e ela precisará mais do que nunca de seus poderes para garantir a sua segurança.

A história da autora Hannah Howel me surpreendeu mais uma vez, ela me conquistou desde que li “A Vidente” seu primeiro romance da série. As capas são super fofas e chamam bastante a atenção. Mas não se engane ao achar que por a capa ser fofa o resto também é. A história tem uma pitada de pimenta, com alguns outros temperos mais fortes.

Tudo se passa Inglaterra como todo bom romance histórico. Alethea com seu dom de intuição faz parte da família Vaughn e Wherlocke, que são conhecidos por suas excentricidades e isolamentos da mais badalada sociedade de Londres. Mais uma coisa incomoda Alethea, suas visões com um garotinho que ocorrem desde seus 5 anos, isso perpassa os anos. Até que um dia ela tem uma visão da morte dele.


Ela vê o rosto dele em toda parte...



Lady Alethea Vaughn Channing é assombrada pela visão de um homem em perigo – o mesmo que aparece em seus sonhos há algum tempo. Ela não sabe seu nome nem quem ele é, mas sente uma conexão imediata, algo de que ela não consegue fugir, e percebe que precisa descobrir como encontrá-lo, pois presente um perigo iminente.


Lorde Hartley é um tremendo conquistador na visão daqueles que o cercam, mais sem que saibam ele esta a serviço da Coroa e do governo, tentando prender Claudette, uma traidora que se faz passar por uma pobre coitada fugida da guerra na França, seu país de origem. Mais quando conhece Alethea e seu tio Lorde Iago Vaughn, ele acaba sendo informado de uma trama bem maior no qual lhe custará a própria vida.


...então o destino torna esse encontro mais que necessário...


Porém, o conquistador Lorde Hartley Greville é capaz de se proteger sozinho, assim como já provou mais de uma vez no seu perigoso trabalho como espião da Coroa. Excessivamente autoconfiante, ele teima por ignorar a bela mulher com o estranho dom.

Mas essa proximidade entre os dois desperta toda a irá da perigosa Claudette, e assim lado a lado eles lutam para tentar desmascará-la. Pois essa sempre se safa através de seu belo rosto e charme, mais quando ela coloca em risco a vida da jovem Alethea, Hartley decide agir de forma mais agressiva a todo custo para salvar o seu verdadeiro amor das garras dessa vibora. E ele não vem sozinho entrando em cena Lorde Argus Wherlocke com seu poder de fazer as pessoas falarem todos os seus segredos mesmo contra sua vontade, Lady Ophelia Wherlocke com seu dom de ver tudo que aconteceu em local mesmo já tendo ocorrido a algum tempo através de seu ectoplasma, o Duque Mondred com seu dom de ouvir pensamentos, entre outros dessa adoravel familia.

Para aqueles que buscam uma boa estranha com uma pitada de romance, boas tramas e sobrenatural é uma boa pedida. A leitura é gostosa e rápida, sem grandes complicações. Do inicio ao fim Hannah nos proporciona emoções fortes e prazerosas, sem perder o foco inicial.

Seus personagens são bem estruturados e cativantes (principalmente os Wherlockes e os Vaughn) quem não gostaria de entrar para uma família com estrema lealdade e laços familiares que ninguém consegue destruir, sem falar da enorme beleza que nós deixa suspirando por noites a fora.

Um comentário:

  1. Lerei esse livro.
    Já li A Vidente.
    Realmente, a autora é boa.
    Mas sou apaixonada por romances de época então.. rs

    Abraços!

    ResponderExcluir