sábado, 29 de outubro de 2011

Resenha do livro "Acanãs - Aequilibrium"

Livro: Acanãs - Aequilibrium
Autor: Júlio Rocha
Editora: LLYR Editorial
Páginas: 246
Ano: 2011



Sinopse:

A cidade corre o risco de ser devastada e o destino de milhões de pessoas estão nas mãos de seis jovens que descobrem possuir poderes especiais. Luana é uma estudante de Arquitetura e descendente de uma tribo cuja história é recheada de lendas sobre uma lança mágica e jovens com poderes sobrenaturais. Pedro estuda Direito e seus ancestrais eram guerreiros fortes e velozes. Luana é uma Acanã e Pedro um Aioa, dois clãs inimigos, desde que foram criados no século XIV. O destino os coloca lado a lado em uma guerra adormecida havia mais de cem anos.

Julio Rocha nasceu em 1967, no Rio de Janeiro, onde vive atualmente com sua esposa e duas filhas. Escreveu o livro de Literatura Fantástica Acanãs - Aequilibrium, o thriller Teia Nega, o suspense juvenil "Mistério em Terra Alegre" e o livro "Técnicas para Escrever Ficção”. O autor viaja pelo Brasil apresentando o workshop "Técnicas para Escrever Ficção" em que ensina os segredos dos escritores de sucesso. Suas "Dicas para Escrever Ficção", disponíveis no site www.jrocha.com.br, já foram consultadas por centenas de milhares de pessoas e reproduzidas em vários blogs, jornais, revistas e sites de cultura. Participa ativamente do Manifesto Silvestre, movimento em prol da literatura de entretenimento que conta com a participação de vários autores brasileiros, como: André Vianco, Eduardo Sphor, Raphael Draccon, Felipe Penna, Luis Eduardo Matta, entre outros.
No início foi muito difícil a leitura, comecei a achar que não terminaria de ler o livro. Mas continuei e me surpreendi com a história e o surgimento de um amor impossível entre dois jovens de tribos inimigas.
Luana é uma Acanã e tem a missão de proteger a lança Iandé, com seus poderes que são passados de geração em geração. E Pedro um Aioa que respeitando a trégua das duas tribos também jurou proteger a lança das mãos de pessoas erradas que poderiam acabar com a harmonia das forças da natureza.
Essa paz é abalada quando Eduardo amigo de Luana, e também protetor da lança é seqüestrado por três jovens Aioas, E ao pedir ajuda para seu pajé, ele os manda para o pajé dos Aioas, apesar do medo ela encara a visita e conhece o jovem Pedro.
“... um rapaz alto, moreno e com as feições mais lindas que Luana já vira estava em pé na porta do escritório...” pág. 42
“Pedro estava abalado. Aquela menina o deixara sem ar assim que entrou no escritório do seu pai. Depois, ao saber que se tratava de uma Acanã, achou que fosse algum reflexo automático de ódio... Seu primeiro impulso foi abraçá-la e protegê-la...” pág. 45
Luana entra em uma faze muito confusa, pois não sabe distinguir seus sentimentos entre Eduardo, Ricardo e Pedro. Apesar disso o livro contado pelo ponto de vista de Luana é repleto de aventuras, traições e cenários maravilhosos da cidade do Rio de Janeiro. Júlio Rocha consegue nos incluir na história, é como se nós fizéssemos parte de tudo que lemos.
Eu indico o livro para aqueles que buscam aventura e surpresas, e uma pitada de romance impossível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário