quarta-feira, 20 de julho de 2011

Resenha "Ovelha Negra"

Livro: Ovelha Negra
Autor: Georgette Heyer
Páginas: 294
Editora: Record
Ano: 2010
Compre: Submarino
                 Livraria Cultura


A rica Abigail Wendover, ainda solteira aos 28 anos, ocupa seu tempo com as obrigações sociais da época. Sua mais nova preocupação é a paixão da sobrinha Fanny pelo belo, mas interesseiro Stacy Calverleigh. Para protegê-la, Abby procura Sr. Calverleigh. Acaba encontrando, porém, o tio de Stacy, Miles: a ovelha negra da família. Ele fez fortuna na Índia, mas é repudiado pela “boa sociedade” devido a um antigo escândalo. O encontro dará início a um mútuo encantamento. Construído com leveza e sensibilidade, Ovelha negra retrata a Inglaterra do início do século XIX, abordando as limitações e as possibilidades das convenções sociais. Uma divertida e bela história.

A autora é Georgette Heyer que nasceu em 16 de agosto de 1902, em Wimbledon. Quando morreu, aos 71 anos, tinha publicado mais de cinqüenta obras, traduzidas para dez idiomas, entre elas 11 histórias de detetive. As tiragens de seus livros variavam entre 60 mil e 120 mil exemplares - num período de recessão mundial em que não se podia recorrer a trens, jornais e correio. Apesar de nunca ter cedido à imprensa, suas obram sobrevivem.

A história por Georgette é envolvente e encantadora, e com o envolvimento dos personagens principais percebemos um ambiente bem humorado entre os dois, apesar de nossa querida Abigail (ou Abby como prefere ser chamada) tentar sempre afastar-se do charmoso senhor Miles. E esse por sua vez tentar de tudo para se aproximar cada vez mais da Sra. Wendover.

Tudo se passa no cenário acolhedor e bem distinto de Bath. O drama começa com a volta ao lar, quando Abby descobre que sua ingênua e adorável sobrinha órfã esta apaixonada por um salafrário e caça dotes do Sr Calverleigh. Então como a tia preferida de Fanny, Abby tenta mostrar a sobrinha que ele não passa de um interesseiro, e para isso ela conta com a ajuda do tio do rapaz.

Para uma dama da sociedade ela tem uma língua bem afiada e sarcástica, se veste muito bem de acordo com as exigências da época. Bem diferente de Miles que não se preocupa com esses protocolos sociais, e também não se importando com o que pensam sobre ele.

Abby uma vez já rejeitou um pretendente por causa de sua família, agora ela se vê em uma nova encruzilhada. O que escolher? Essa é uma resposta que ela tem que responder para si.

Para ser sincera eu não gostei do final do livro, terminou do nada sem nos dizer muito o final dos personagens. Fiquei aflita sem o final feliz. Mas para aqueles que gostam de uma boa leitura: Divirtam-se.

2 comentários:

  1. Oiii...aceito parceria sim!
    Já te linKei no meu blog, :)

    beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Oie, adoro livros de época já tinha visto o livro no site da record e tinha me interessado pela sinopse mas agora com a tua resenha fiquei louca para lê-lo mesmo você dizendo que tem um final abrupto e sem dizer qual foi o fim dos personagens.
    Juliana http://livrosfilmeseconversafiada.blogspot.com/

    ResponderExcluir