domingo, 19 de junho de 2011

Resenha do livro "Pode Beijar a Noiva" de Patricia Cabot

Livro: Pode Beijar a Noiva
Autor: Patricia Cabot
Editora: Essência (Editora Planeta)
Páginas: 238
Ano: 2011


Apenas um homem poderia propor a ela casamento...

Emma Van Court, dama de uma família londrina, jamais esperava ficar viúva e sem vintém na aldeia escocesa de Faires. E quando uma fortuna lhe foi prometida, se ela tornasse a se casar, a bela professora deparou-se com um mosaico de homens solteiros lutando por suas atenções, seus pretendentes iam desde o pastor local até um detestável barão.

Um doce beijo selaria aquele amor...

James Marbury, conde de Denham, era moderno e sofisticado... e totalmente desacostumado às estradas lamacentas e aos telhados de palha de pequena Faires, para onde viajara depois de saber do falecimento de seu primo Stuart. E logo fica ansioso ao perceber que o intenso amor que sentira pela viúva Emma continuava tão forte quanto antes. Diante de tantos homens solteiros que a cortejavam, James encontrou uma única solução: oferecer-se como marido temporário para Emma... mesmo que secretamente ele desejasse fazer seus votos durarem para sempre.

Patricia Cabot é o pseudônimo da escritora norte-americana Meg Cabot. Foi como Patricia que ela assinou seus primeiros livros, nos anos 1990.Recebeu vários elogios de publicação como Publishers Weekly e Romantic Times. Apesar de não escrever mais como Patricia, seus livros sob essa alcunha continuam a ser traduzidos para vários idiomas e a atrair milhares de fãs. 

No Brasil com o selo Essência (Editora Planeta) lançou também A rosa do inverno, livro de estréia de Cabot. Assim como Rosa de Inverno e Aprendendo a Seduzir.
 
Sou uma grande fã de Cabot desde a série “A Mediadora”. Ela me surpreende a cada história contada em seus livros.

Em “Pode Beijar a Noiva”, o enredo nos prende do inicio ao fim. É tão gostoso ler sobre um romance tão puro, quanto o dos personagens Emma e James.

Emma era órfã de pais, por isso morava na casa dos tios com sua prima, mas o amor de sua vida sempre foi Stuart. Certo dia eles decidiram fugir para se casar as escondidas, tento em vista que o conde é contra essa união assim como a família dela. Só que por um acaso da vida, a alegria da moça se torna a sua maior tristeza. É então que tudo começa.

O ponto que deixou a desejar é a história de Stuart, pois não sabemos nada dele nem antes e nem depois do casamento as escondidas com Emma. Gostaria de saber como ele era, mas isso só descobrimos do ponto de vista da viúva, onde ela diz ao conde que ele via pecado nas coisas mais simples na vida de um casal, como o beijo, por exemplo.

Os confrontos são vários do início ao fim e é isso que acaba por nos conquistar. Essa descoberta do amor verdadeiro.

Cabot escreve todas as suas histórias com palavras cativantes e de forma emocionante a cada parágrafo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário