sábado, 14 de maio de 2011

Capa e sinopse de “Pode Beijar a Noiva” de Patricia Cabot.

A editora Essência (selo da Planeta) está lançando esse mês o livro “Pode Beijar a Noiva” de Patricia Cabot. Que nada mais é que a nossa querida Meg Cabot, autora da série mundialmente conhecida como "A Mediadora". Ela usava o nome de Patricia antes da fama.


Sinopse: Em meados do século XIX, Faires, uma minúscula cidade na Escócia, é o local escolhido como lar por Emma e Stuart, jovens recém-casados. Na verdade, não bem uma escolha, mas uma opção de fuga, já que algumas pessoas da família não aprovavam a união. Uma delas é James, conde e primo rico de Stuart, que ficara indignado quando soube dos planos do casal – afinal, era ele que pretendia ter Emma, dama de uma família londrina, como esposa. Mas ao cometer essa loucura de fugir com Stuart exclusivamente por amor, Emma jamais esperava ficar viúva em tão pouco tempo e sem sequer um vintém, ainda mais em um local tão isolado.
Avisado alguns meses depois da morte de Stuart, James não ficou chateado quando sua mãe lhe pediu que viajasse em seu lugar até a pequena cidade para convencer Emma a voltar para Londres. Afinal, a simples possibilidade de revê-la o enchia de ansiedade e desejo. Junto com ele, aos poucos, o leitor descobre porque Emma reluta tanto em voltar para Londres, mesmo vivendo em uma pequena e afastada cabana e trabalhando como professora em uma escola de crianças.
James pretendia ficar pouco na cidade, imaginou que seria rápido convencê-la. Mas não demorou para descobrir que Stuart não havia morrido de tifo, conforme ela lhe contara, mas fora assassinado. E que o assassino, condenado à morte, deixou uma fortuna de 10 mil libras para a viúva. Mas havia uma condição para Emma receber o dinheiro: deveria se casar novamente, o que fez com que surgisse uma fila  de pretendentes, desde o pastor local até um detestável barão – afinal, qual homem não sonha em casar com uma bela e, ainda por cima, rica mulher?
A condição fora imposta pelo juiz local, que acreditava que Emma gastaria o dinheiro rapidamente se não tivesse um homem ao seu lado. Diante da legião de homens solteiros que a cortejavam, James encontrou uma solução para resolver o problema: oferecer-se como marido temporário – ela sabia que ele era suficientemente rico para não precisar do dinheiro da herança. Claro que, secretamente, ele desejava fazer seus votos durarem para sempre.
Um beijo seria suficiente para isso? Ou teria também que se dispor a mudar seu caráter de aristocrata e egocêntrico e se tornar a alma gêmea que Emma sempre desejou?

Nenhum comentário:

Postar um comentário